18 julho 2012

I'm Sorry.



Eu sinto muito.
Sinto muito, por não conseguir sentir absolutamente nada.
Por estar deixando as lembranças passarem com o tempo. Sinto por estar diminuindo tudo dentro de mim. Por não conseguir controlar isso.
Eu tentei, tentei com todas as forças que eu pude. Mais chega uma hora que não da mais pra se prender no que passou, uma hora que é “matar ou morrer”. Eu escolhi matar.
Não me leve a mal, falando assim eu sei que pareci um pouco triste e covarde. Mais eu ainda sou uma criança e você sabe. Eu não cresci se quer 50% do que eu preciso, para me tornar “o alguém” que você precisa.
Ver-te sempre com essa pose de “pai” me fez sentir ainda menor todo esse tempo.
Eu sabia que ali de baixo dos seus braços ou deitada no seu colo eu me sentiria melhor, e mais segura.
E eu me senti durante todo esse tempo, e te agradeço por isso também.
Por me manter quietinha e segura, porque era o que eu precisava naquele momento.
Mais agora eu preciso correr riscos de verdade. Preciso apostar em alguns sentimentos, deixar de ser sua menina pra quem sabe ser a mulher de alguém. Preciso deixar alguém me ferir, eu sei que pareci automutilação mais não é. Eu descobri que a dor traz aprendizados que a felicidade jamais traria.
E é exatamente disso que eu preciso. Preciso aprender, e não é pouco.
Preciso entender que se eu cair vou ter que me levantar sozinha, perceber que nem todo mundo é tão bom quanto você, nem todo mundo vai me perdoar e me entender como você sempre fez.
Eu conheci o lado bom da vida, e agora preciso conhecer o outro lado que pareci não ser tão bom assim. Não que eu queira, eu não quero, ninguém quer apostar em coisas que não conheci.
Ninguém quer sofrer ou ter desilusões, mais hoje eu sei que todo mundo precisa disso.
Assumo também que desde quando decidi que teria de ser assim, me pego pensando em tudo.
Com um medo enorme de ariscar. Tenho muita vontade de voltar correndo pros seus braços e chorar no teu colo, sei que se o fizesse você me acolheria e me entenderia. Ou na pior das hipóteses fingira entender.
Mais me aceitaria ali, naquele meu momento de total desespero, com medo da vida, medo de tudo que eu julgo precisar pra ser mais forte. Me aceitaria porque assim como eu, você também passou por esses momentos, e mesmo minúscula aos olhos do mundo, me tornei grande o suficiente pra te aceitar também.
Concluo então, que vou seguir mesmo com uma vontade enorme de ficar. Vou viver a vida, aprender a ser sozinha. 
Vou ter momentos desesperadores e vou saber o que fazer, vou aprender a tomar minhas próprias decisões.
Vou magoar muita gente e vou ser muito magoada, aprender que quase tudo passa e aceitar que as lembranças boas perduram. Vou me testar dia após dia para não me render as vontades súbitas de querer voltar no tempo.
Assim mesmo, bem desse jeito desorientado, como se fosse uma batalha diária com minha própria pessoa, porque eu sei que não é isso que eu quero. Mais é exatamente disso que eu preciso. (Lorena Aguilar )

Amor não mata.



- E se eu disser que não quero mais te ver, te ouvir, ou qualquer coisa do tipo ?
Coisas que agente diz quando ta triste de mais pra perceber o que é melhor pra gente.
E se eu te pedisse pra me esquecer.Da mesma forma que você já pediu tantas e tantas vezes.
Seria fácil pra você cumprir com meu desejo?
Ok. Não precisa nem responder, já sei onde isso vai chegar.
A verdade é, que eu poderia sim dizer tudo isso, poderia te testar, me testar.
Ver como é do "seu lado".
O lado de quem não quer, o lado que eu considero o mais fácil.
O lado que pelo fato de não conhecer não sei se dói, não sei se é triste, não sei se é bom, não sei absolutamente nada.
Porque eu não conheço o lado de quem parte o coração, eu só conheço o lado do coração partido. 
Eu sei que partir o coração de alguém, não deve ser la uma tarefa muito fácil. Exige esforços sobre humanos, e explicações que por mais patéticas que sejam devem ser dadas. Porque é assim, porque a gente é assim. Não consegui ouvir um "eu não quero mais" sem todos os motivos que levaram a essa frase.
"Não é você sou eu”, "Eu gosto de você mais preciso de um tempo”, "Eu te amo mais não da mais" .
Na verdade não é nada disso e a gente sabe.
Mais como chegar em alguém e apenas dizer, sim é você, e sou eu também sabe?
Mais você principalmente, é de você que eu não gosto mais, que eu não sinto mas vontade de estar perto e por um motivo ou outro, minhas possíveis desculpas agravariam mais esses fatos.
Seria simples se não foi tão complicado.
A vida é assim, ta ruim hoje, amanha melhora e depois passa.
Ai você me pergunta, e se não passar, o que agente faz?
E infelizmente eu só tenho uma resposta pra isso. Não fazemos nada, porque não a nada a ser feito. Qualquer coisa que você venha a dizer ou fazer pode agravar a situação umas mil vezes, então não faça nada. Se não passar hoje, espere um mês, se não em um mês espere um ano, e se não passar um ano.
Você continua vivendo e fingindo estar bem, porque no fundo é isso que a gente faz o tempo todo.
Fingimos estar bem, porque estar bem todos os dias é quase impossível.
E se essa dor não passar mesmo, de jeito nenhum, você vai envelhecer e descobri que é mais forte do que pensava.
Porque mesmo com o coração partido todos esses anos, você continuou de pé.
Você vai morrer claro, todo mundo morre. Mais não por amor, amor não mata.
Então fique tranqüilo, fique bem, fique vivo. (Lorena Aguilar)

Ressaca de amor.

casal de namorados
Assim como acontece com os grandes porres, o fim de um grande amor, trás consigo uma grande ressaca.
Refazer-se sozinho, depois de um longo tempo andando junto pode dar uma imensa dor de cabeça.
Mas, vale lembrar que: toda ressaca passa. 
E você jura que nunca mais vai beber assim, ou amar assim. Ate que em um belo fim de noite, você se vê cansado da rotina, do trabalho, do seu chefe, ou do que for. E resolve dar uma passada rápida no bar.
A principio vai tomar apenas uma garrafa, só pra aliviar o stress da semana, que foi corrida e exaustiva.  
Mas quando finalmente cai em si, já é madrugada, e você se vê completamente bêbado em um boteco qualquer, ou com as pernas completamente entrelaçadas nas daquela mulher.
Mulher essa, que a principio era só um lance bobo sem a menor importância. Mas, assim como com a bebida você nem percebeu quando passou da conta e caiu de cabeça nisso de novo. E quando enfim percebe, já não se importa mais. 
Nesse momento meu caro, você se esquece completamente das consequências dessas duas drogas.
Afinal, a única semelhança de um porre daqueles e uma mulher daquelas é do que a dor de cabeça que elas trazem consigo.

E quando tudo fatalmente acaba, você repete que nunca mais amar ou beber de novo.
Mas, no fim, seja qual for à situação, a gente percebe que não a como fugir, é instintivo. 
Amor, porre, ressaca.


Esse é o processo. A gente se nega, mas no fim, a gente se entrega. (Lorena Aguilar)

AddThis