13 setembro 2012

Bagunça.



quarto bagunçado
Lá estamos nós de novo, no meio da bagunça que você causou mais uma vez.
É sempre assim, você me pega, me tem, me ama e fatalmente me deixa.
E eu não aprendo, não aprendo nunca.
Sempre digo que isso não vai mais se repetir, que eu vou me organizar e que dessa vez quando você voltar vai se sentir deslocado. Digo e repito pra mim mesmo durante sua partida que da próxima vez eu tranco tudo, coloco cadeado com chave ou senha. Você não entra nem se implorar, pode bater e ate tentar derrubar a porta, não adianta ta fechada, ta trancada e blindada.
Quem me dera. Nunca é assim. Sua visita quinzenal mexe comigo.
Pois é. De quinze em quinze dias você reapareci misteriosamente. E ao contrário dos meus sonhos, a porta esta sempre aberta e ainda tem um tapete na estrada escrito, SEJA BEM VINDO e um no meu quarto VOLTE SEMPRE.
E você categoricamente sempre volta. E é sempre uma ótima recepção chazinho, carinho e amor. Nem sempre nessa ordem.
E então você diz que me AMA. Fatal, conseguiu de novo. Como num CIRCULO ou num CIRCO onde a palhaça em questão sou sempre eu.
Rendo-me, você me tem de novo, me entrego de corpo e alma.
E você que só esta interessado no corpo leva a alma de brinde.
Mais uma vez repete que me ama muito, que se importa e que me magoar esta longe das suas intenções. Teoria linda mais a pratica é sempre outra.
Meia noite você pega suas coisa e vai embora.
_Ta tarde, amanha trabalho cedo. E tem aquela menina lá também né? Você sabe. Ela mexe muito comigo.
Pronto, ai esta meu mundinho desmoronando de novo. 
Aqui estou eu outra vez indo pro banho, esfregando minhas costas o mais forte que eu consigo, querendo tirar qualquer rastro que me prove que mais uma vez você conseguiu o que queria. Querendo eliminar qualquer cheiro seu que ocasionalmente tenha ficado em mim. No meio do banho onde os sentimentos oscilam entre saudades e raiva, eu choro. 
Choro porque é a única coisa que me alivia.
Eu ali sozinha, debaixo do mesmo chuveiro em que você disse que me amava. Ate que trinta ou quarenta minutos depois você vai embora, muda de ideia. 
Porque não dá pra ter certeza se é isso que você realmente quer. 
Porque você nunca tem certeza do que quer. 
Porque na verdade você quer mesmo curtir a vida e eu não passo de mais uma dessas curtições.
Porque tem outra pessoa ou porque seu horóscopo disse que você não ta numa boa fase para se envolver emocionalmente. Por um motivo ou por outro você sempre tem que ir. E sempre vai. 
O problema é que sempre volta. E eu que sempre te quis como chefe do meu coração, que sempre te dei todos os motivos para ficar, fico aqui sozinha de novo. Ate que você resolva reaparecer. Porque infelizmente eu entrei no seu jogo e não consigo sair. (Lorena Aguilar )

4 comentários:

  1. Nosssa que lindo... Profundo e dramático...Esse circulo ou circo, esse corpo e essa alma. No incio do texto pensei que tinha um mistério envolto disso tudo, mas depois descobri que era coisa da minha cabeça...Para mim, você fazia um inter relação com a querida "MEURI" (MESTRUAÇÃO)...Mas depois com a ler do texto vi que realmente era uma pessoa..um amor ou não.
    http://escritordebrinquedo.blogspot.com.br/2012/09/melhores-do-ano.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bom da expressão com palavras é isso... ao decorrer de um texto ou livro chegamos a "N" conclusões diferentes...(mais adorei a sua observação final "um amor ou não." acho que esse é o mistério fundamental do texto.

      Excluir

AddThis