14 outubro 2012

Paradoxos.


casal se beijando
Éramos os melhores amigos do mundo, a gente não se desgrudava sequer um minuto. Amizade bonita, historia boa de mais pra durar.
A gente se empolgou, por momentos esquecemos que eu era uma mocinha e você um homem. Fantasiamos toda aquela historia de melhores amigos, irmãos. Todo mundo sempre soube o que viria depois disso, a gente nunca se importou com o depois.
Em meio a tantas decepções decidimos nos dar uma chance. E veja só, o que parecia a melhor solução, acabou com  tudo.
Passamos de melhores amigos a desconhecidos, como num passe de mágica.
Eu a mulher da sua vida, você o cara que eu sempre esperei. Nos, decepção, fim de jogo, fim de papo, fim de historia. Entramos pra "lista" de quem não valeu pena, de quem mentiu e magoou.
O amor traz consigo essas coisas, e o desamor também. Era a lição que mais pra frente aprenderíamos.
O fardo do amor é pesado de mais. Perdoar certas coisas é difícil, e esquecer é quase impossível.
Uma vez eu te disse que éramos só duas estradas se cruzando ao acaso, você sorriu e disse que fazíamos parte da mesma estrada. Por quanto tempo acreditamos nisso? Por quanto tempo conseguimos ver o amor?
Eu mudei, e você também. Mais as pessoas mudam, não é. A gente não se aguentou pensa só. Descobrimos da pior forma que éramos peças de um quebra cabeça completamente desproporcional. Eu pequena, você grande de mais. Não conseguimos nos encaixar na vida um do outro. Você me sobrava nas mesmas proporções em que eu te faltava. 
Mudamos, foi só o que eu consegui dizer.
Nos sempre desejamos um ao outro, mais desejávamos o mundo também. E desejo por desejo acabamos sozinhos. Não abrimos mão do resto pra sermos o tão sonhado “nos”.
Eu queria você, sempre quis. Mais o mundo era colorido de mais. A vida é pequena de mais e eu era menor ainda. Me perdi, de você, de mim, de nos. 
Solução? O fim.
Nossas impossibilidades nos levaram a desistir. Por motivos que eu desconheço você me amou, e eu te amei. Mesmo sendo pessoas tão diferentes, conseguimos viver momentos inesquecíveis juntos.
Às vezes eu sinto que o "nos" existiu sim, de uma forma que eu talvez nunca consiga explicar,ainda existe. Mesmo que a gente não se fale, não se veja. Mesmo que você suma, que morra. Vou seguir te amando, porque sei lá, amor não tem explicação, só nasce, cresce, fica... e mesmo que eu não queira vai ficar.
Eu quero te ver bem, e me ver bem também. Não quero você pra mim, não sou tão egoísta.
Nos nunca soubemos ser um, formado de dois, não tivemos vocação para ser um casal.
Eu sei ser eu, e você só sabe ser você. Mais quero te ver bem, repito, quero um dia poder te encontrar por ai, conversar e ate sorrir. Quem sabe te contar das minhas metas e conquistas. Quero continuar me orgulhando de você, como sempre me orgulhei.
A gente foi o mais perto do amor que eu consegui chegar. Mas não conseguimos seguir a mesma estrada, optamos por lados opostos.
Se ainda me restasse escolha voltaria para seu lado, mais não posso, não dá.
Amostra grátis de amor, foi bem isso. Qualidade indiscutível, produto inigualável, mais foi pequeno, foi amostra, acabou.
Sem desespero, sem medo, sem “fim”. Desejo o melhor pra você e pra mim. (Lorena Aguilar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddThis